Se a resposta for sim, preencha seus dados ao lado e pronto! Você receberá um e-mail, toda vez que atualizarmos os conteúdos do site.

Quer receber atualizações do site por e-mail?

My Image

Sobre

Após rememorar minha história de vida, entendê-la, compreendê-la e valorizá-la, e ainda, passar por um profundo processo de autoconhecimento, cheguei a algumas conclusões que serão muito úteis para o desenvolvimento de minha missão de vida.

Ivete Freitas

VOCÊ SABE A DIFERENÇA ENTRE ORÇAMENTO E PLANEJAMENTO FINANCEIRO?

15/01/2018 09:25:00

Ivete Freitas

My Image
Antes de mais nada, se você quer atingir seus objetivos financeiros, ter tranquilidade e equilíbrio em suas finanças e realizar seus sonhos, necessário se faz ter um planejamento financeiro.

Iniciemos por diferenciar ORÇAMENTO de PLANEJAMENTO FINANCEIRO

Quando falamos em Orçamento Mensal, estamos nos referindo a uma parte do planejamento, uma vez que ele apenas estabelece os limites que você poderá gastar em cada área. É o caso por exemplo quando você direciona parte da sua renda para investimentos, outra parte para pagar seus gastos fixos (como água, luz, aluguel, alimentação), outra para gastos variáveis (como lazer, entretenimento). É através desse orçamento que você terá o dia a dia de suas finanças sob controle para que você não se perca em meio a hábitos de consumo, dívidas e obrigações. A cada compra, você refletirá se aquele gasto está dentro de seu orçamento, bem como se seu planejamento financeiro comporta esse gasto.

Já o Planejamento Financeiro Pessoal, consiste na administração e organização de suas finanças, bem como, na determinação de objetivos em curto, médio e longo prazo relacionados a essas finanças. Ou seja, o planejamento financeiro visa a estudar a situação atual de suas finanças e, tendo em vista suas metas financeiras, traçar caminhos possíveis para atingi-las.

Agora, só o fato de ter um Planejamento Financeiro e um Orçamento Mensal não garante o sucesso de suas finanças nem a realização de seus sonhos. É preciso colocar esse Planejamento em prática, realizando todas as ações previstas. E a primeira ação é ter esse planejamento no papel, sempre à mão, para acompanhamento e revisão quando necessário. Estabeleça uma data anual obrigatória para revisão e acompanhamento, por exemplo, sua data de aniversário, ou o início do ano, e seja fiel. Quanto ao orçamento, o ideal é que seja monitorado semanalmente, com a alimentação de todos os gastos e receitas diários. Existem inúmeras ferramentas gratuitas na internet que podem auxiliar no controle e acompanhamento de suas finanças. E tem pra todos os gostos, desde os mais avançados em tecnologia até aqueles que não abrem mão de planilhas no caderno de notas. O importante é ter o controle e acompanhamento.

Outro fator importante a ressaltar: também não adianta ter o planejamento e orçamento no papel, fazer os lançamentos de todos os gastos mas não usar a inteligência financeira para estabelecer objetivos e direcionar esforços para poupar e atingi-los. Nesse quesito, cada um, mediante sua situação financeira e econômica, terá seus objetivos. Mas vale algumas dicas:

- Mande no seu dinheiro e não deixe que ele mande em você > antes de começar o mês, faça um estudo do orçamento do mês que está findando e veja quais gastos pode mudar ou reduzir e estabeleça metas objetivas para o mês que se inicia;

- Pague-se em primeiro lugar > em qualquer situação, destine um percentual de sua renda para a construção de ativos; só assim você atingirá sua independência financeira; vários autores discorrem sobre esse quesito, mas o importante mesmo é que você comece o mais cedo possível a investir para se tornar independente financeiramente;

- Destine uma verba mensal para imprevistos > os imprevistos podem ser previstos reservando uma média de 5% de seus gastos mensais; isso evitará dissabores e gastos com custos mais elevados;

- Pague suas contas em dia > tenha sempre em mãos um mapa com todos os seus compromissos para o mês, em ordem cronológica de vencimentos; com isso, você evita pagar com multas e juros e mantém seu crédito na praça;

- Faça uso do débito automático > aproveite das facilidades oferecidas pelas instituições financeiras e programe o débito automático em conta corrente de seus compromissos; isso vai te poupar tempo e evitar atrasos, bem como, diminuir os custos junto ao seu agente bancário;

- Tributos e Gastos Anuais > Não deixe prá pensar no IPTU, IPVA, e demais compromissos anuais só quando chegar o carnê. Planeje com antecedência a origem dos recursos para honrar tais compromissos. Que tal destinar o 13º, as gratificações e bônus para tais fins?

- Mantenha um arquivo de comprovantes > guarde em uma pasta tudo que você pagar durante o ano e observe o prazo de expurgo; isso evitará transtornos com declaração de Imposto de Renda, consertos de eletrodomésticos, seguros de bens, dentre outros.

Espero ter ajudado! Aguarde os próximos artigos!...

Ivete Freitas
Master Coach em Carreira e Finanças
ga('set', 'userId', 'USER_ID'); // Defina o ID de usuário usando o user_id conectado.